Doze semanas de suplementação com hialuronano – também conhecido como ácido hialurônico – pode melhorar o "brilho" da pele e reduzir as rugas, diz um novo estudo do Japão.
 
Os dados de um estudo randomizado, duplo-cego e controlado com placebo com 60 adultos indicaram que 120 miligramas por dia dos ingredientes hialurônicos de Kewpie Hyabest (A) e Hyabest (S) LF-P também levaram a melhorias na flexibilidade da pele.
 
"Este estudo mostrou que a ingestão oral do [peso molecular] 2 k ou 300 k [ácido hialurônico] por 12 semanas suprimiu as rugas e melhorou o brilho e a flexibilidade da pele em homens e mulheres japoneses saudáveis entre 22 e 59 anos de idade. Conclui-se que o consumo de ácido hialurônico deve ser usado como um método para manter a pele saudável", escreveram pesquisadores da Kewpie Corporation e da Universidade Toho, Centro Médico Ohashi, em Clinical, Cosmetic and Investigational Dermatology.
 
Kewpie Corp financiou o estudo.
 
HA e pele
 
A pele contém cerca de 50% do hialuronano do corpo (HA), um componente presente em cada tecido conjuntivo. A degradação de HA e colágeno é considerada uma das causa da formação de rugas, por isso há muitos fornecedores de ingredientes explorando o potencial de suplementação oral para melhorar a saúde da pele.
 
Apesar do interesse em hialuronano, há poucos ensaios clínicos relatados na literatura que investigam a eficácia do consumo oral de HA nos parâmetros de saúde da pele (ver PubMed, acessado em 19 de setembro de 2017).
 
Cientistas da Kewpie criaram um artigo de revisão em 2014, publicado no Nutrition Journal, que concluiu: "A redução do HA na pele por fatores intrínsecos e extrínsecos, como envelhecimento e radiação ultravioleta, tabagismo e poluentes atmosféricos, induzem a secura na pele. No entanto, os suplementos diários de HA podem hidratar a pele, porque os metabólitos de HA aumentam o teor de umidade cutânea ao ter um efeito sobre as suas células. Assim, o consumo de HA afeta as células da pele e melhora a pele seca fisiologicamente”.
 
"Este artigo de revisão mostra que consumir HA hidrata a pele e empregar HA como suplemento dietético torna a pele saudável. Acreditamos que os países em todo o mundo se beneficiarão deste artigo e utilizarão HA para aliviar a pele seca".
 
O novo estudo duplo-cego, controlado por placebo, soma-se a esse corpo de evidências ao investigar os efeitos do ingrediente nas rugas.
 
Detalhes do estudo
 
Os pesquisadores recrutaram 60 pessoas, homens e mulheres japoneses entre 22 e 59 anos para participar do estudo. Os participantes foram distribuídos aleatoriamente para um dos três grupos: placebo ou uma formulação de HA utilizando uma das duas variedades, com um peso molecular de 2k ou 300k (Hyabest (A) e Hyabest (S) LF-P, respectivamente). Ambos os grupos receberam uma dosagem de 120 mg por dia.
 
A análise tridimensional de sua pele indicou que os grupos HA apresentaram um melhor nível de sulco inteiro (sulcos na pele) para relação de volume, proporção da área derugas e proporção do volume de rugas, em comparação com os valores de placebo e de linha de base. No entanto, apenas o grupo de 300 k (Hyabest (S) LF-P) apresentou rugas significativamente diminuídas em comparação com o grupo placebo.
 
Informações adicionais sobre brilho e flexibilidade de um questionário indicaram que ambos melhoraram em todos os grupos após 12 semanas, em comparação com valores basais. No entanto, o brilho em ambos os grupos HA aumentou mais do que os grupos placebo, disseram os pesquisadores.
 
"O ácido hialurônico é caro para a fabricação e, uma vez no corpo, sua eficácia é diminuída pela absorção no trato intestinal e ação metabólica pelo fígado, tornando as pequenas quantidades disponíveis em outras formulações insignificantes em seus efeitos", afirmou Kewpie. “Hyabest (S) LF-P está menos sujeito a degradação e poucas empresas possuem conhecimentos técnicos e instalações para produzir ácido hialurônico nos níveis que a Kewpie Corporation faz”.
Stephen Daniells
 
Fonte: Clinical, Cosmetic and Investigational Dermatology e Cosmetic Design
 
Esta é uma tradução. O conteúdo é de total responsabilidade do(s) autor(es) e não reflete necessariamente a opinião da ABC.