A Colômbia pode se tornar o primeiro país da América Latina a proibir testes em animais em cosméticos e produtos para cuidados pessoais se uma nova lei for aprovada em lei.
 
O projeto de lei foi apresentado ao Congresso colombiano na semana passada, defendido pelo grupo de defesa dos animais, Animal Defenders International (ADI).
 
Se a lei for aprovada, isso significa que a Colômbia se juntará a mais de 40 países em todo o mundo na proibição de testes em animais com cosméticos, que atualmente inclui todos os países da UE, Austrália e Índia.
 
O que a conta diz
 
A legislação proposta exige a proibição total de todos os produtos cosméticos, bem como os ingredientes que compõem a formulação do produto.
 
O projeto de lei se aplicaria a todos os produtos e ingredientes cosméticos fabricados na Colômbia, bem como às importações em toda a linha, e surgirá 12 meses após a aprovação.
 
A ADI tem sido fundamental para fazer o projeto decolar na Colômbia e tem feito lobby junto a políticos e àqueles envolvidos na indústria de beleza do país para estabelecer o precedente na região da América Latina.

ADI pretende acabar com testes desnecessários
 
Houve pressão para avançar com a proibição mundial de testes em animais para cosméticos desde que membros do Parlamento Europeu adotaram uma resolução em maio deste ano que pretende proibir testes em animais em todo o mundo até 2023.
 
A ADI tem pressionado por esse movimento, mostrando as pesquisas realizadas que expõem o sofrimento generalizado de animais que ainda estão sendo usados ​​em experimentos com produtos cosméticos em todo o mundo.
 
A organização alega que alternativas avançadas de testes não animais são agora invariavelmente mais confiáveis ​​do que os testes realizados em animais, sem o sofrimento desnecessário.
 
Fonte: Cosmetics Design
ABC - Associação Brasileira de Cosmetologia
Rua Ana Catharina Randi, 25
Jd.Petropolis
São Paulo – SP
CEP: 04637-130
Fone: +55 (11) 5044-5466
COMO CHEGAR